© 2016 por Rennovare Consultoria     25.462.980/0001-75

Quem Somos

 

A Rennovare Consultoria e Assessoria Empresarial, nasceu através da união dos melhores Negociadores do Brasil, que juntos acumularam muitos anos de experiência em consultoria de nivel nacional, temos como premissa o conceito da inovação, agilidade, transparência e amplo relacionamento com seus clientes, oferecendo assessoria para uma gestão de recuperação de créditos mais rápida e com maior obtenção de resultados.

Buscamos ser reconhecidos pelos nossos clientes, como uma empresa inovadora, confiáve, gerando resultados excepcionais, solidificando cada vez mais nossos valores e diferenciais, visando somente o lucro através de uma conduta justa, ética e de responsabilidade social.

A Recuperação de Créditos

Atuamos no serviço de consultoria em recuperação de créditos renovada, com grau elevado de expertise.

Desenvolvemos um trabalhos de forma sinérgica, com uma equipe de profissionais qualificados, com análise jurídica, visando objetivar e atender as reais necessidades dos nossos clientes, agregando valor com resultados ímpares e estrutura operacional polivalente, o que assegura a excelência dos serviços prestados para organizações de médio e grande porte, além de maior economia e lucratividade, gerando parcerias duradouras e de confiança.

Vida Financeira

 

17/10/2019

Empreagdores vão deixar de pagar multa de 10% do FGTS.

 

Fim da multa abrirá uma folga de R$ 6,1 bilhões no teto de gastos para o próximo ano. Mensagem será enviada como modificação no Orçamento de 2020.

Rio – A partir do próximo ano, os empregadores podem deixar de pagar a multa adicional de 10% do FGTS. O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, informou que a extinção da multa deverá constar de uma mensagem modificativa da proposta de Orçamento para 2020.

O fim da multa abrirá uma folga de R$ 6,1 bilhões no teto de gastos para o próximo ano. Isso porque o dinheiro da multa adicional deixará de passar pela conta única do Tesouro Nacional, não sendo mais computado dentro do limite máximo de despesas do governo.

Atualmente, as empresas pagam 50% de multa nas demissões. Desse total, 40% ficam com o trabalhador. Os 10% restantes vão para a conta única do Tesouro Nacional, de onde são remetidos para o FGTS. A engenharia para transferir os recursos da multa extra ao FGTS pressiona o teto de gastos. Mesmo o governo não gastando nenhum recurso da multa de 10%, a simples passagem do dinheiro pela conta única do Tesouro é registrada no cálculo do teto de gastos.

O sistema atual reduz o espaço do governo para executar despesas discricionárias (não obrigatórias), como investimentos e gastos com a manutenção de órgãos e de serviços públicos (como água, luz, telefone e limpeza).

A mudança depende de medida provisória (MP) ou de projeto de lei e precisa ser aprovada pelo Congresso. O relator da medida provisória que libera os saques do FGTS, deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), incluiu o fim da multa de 10% do empregador no texto. No entanto, o secretário especial de Fazenda disse que o governo pode incluir a extinção da multa na MP que modifica o Orçamento.

“Essa multa já cumpriu sua função, foi constituída na década de 1970. Ela onera o empregador e traz um incentivo não desejável ao mercado de trabalho. A medida tem um efeito fiscal, mas do lado da oferta traz melhoria no custo de contratação”, disse Rodrigues.

O secretário especial disse que a MP com a mensagem modificativa do Orçamento apresentará outras medidas para “recompor o limite orçamentário de 2020”. O secretário, no entanto, não adiantou nenhuma outra ação.

     Fale Conosco

  

  

    +55 21 3986-3886

Rua Senador Dantas, 20 salas 1004, 1005 e 1006
Centro - Rio de Janeiro

CEP: 20031-203
 

​​

EMAIL

contato@rennovareconsult.com.br

 “Inovação é a exploração com sucesso de novas ideias.”